Conheça Itapipoca

ITAPIPOCA

Itapipoca é conhecida como “cidade dos três climas”, por haver em seu território praias, serras e o sertão; com grandes diversidades naturais e histórico/culturais o município apresenta sem sombra de dúvidas um vasto potencial turístico. É possível aliar praia, serra e sertão num só lugar, e Itapipoca aposta neste diferencial abrindo as portas para o turismo, oferecendo paisagens verdes e saudáveis, sem desprezar histórias e lendas, arte e culinárias, valorizando a cultura e as tradições locais como uma das formas de incrementar a atividade e agregar valor ao segmento. Dentre os diversos atrativos existentes, o município abriga em sua paisagem, gigantescos monólitos, cachoeiras, bicas, olhos d’água, trilhas, açudes, praias, lagoas, tanques fossilíferos e até uma gruta com inscrições rupestres, tudo na medida certa para o turismo que ainda chega timidamente à região.
Seu desenvolvimento confere a cidade a 10ª colocação entre os municípios mais ricos do estado e a 7ª colocação entre os municípios mais populosos do estado; possui uma extensão territorial de 1.615km², com clima tropical e uma população de 130.539 habitantes (estimativa de 2020), temperatura média de 27º e umidade de 55%.

Principais atrativos nas regiões de Praia, Serra e Sertão

Praia da Baleia: Distrito que fica a 55 km da sede. Com 25km de praia de aguas mornas, compõe seu cenário com coqueirais, dunas, lagoas, lagos, jangadas, rios, pôr-do-sol. A hospedagem é feita em pousadas simples e aconchegantes, e estão dispostas na sua maioria à beira-mar, assim como as muitas casas de veraneio.

Os atrativos naturais são os atributos mais fortes dessa faixa litorânea. As impetuosidades dos ventos e do sol, comuns no litoral, excedem na Praia da Baleia. As praias, Pedrinhas, Inferninho, Maceió e Apiques, assim como as lagoas, do Humaitá e das Mangabeiras, são de banho fácil de águas rasas.
Lagoas do Distrito de Marinheiros:
Lagoa do Humaitá – Lagoa de águas calmas e limpas, de ótima balneabilidade.

Lagoa da Mangabeira – Lagoa interdunar, com vastos campos de dunas no entorno. Patrimônio natural, atrativo de relevância com belezas naturais, associadas ao lazer, que atraem visitantes locais e regionais.

Lençóis Baleienses – Por trás das dunas encontra-se a Lagoa do Mato, um lugar onde a natureza apresenta uma paisagem exótica de extrema beleza. É uma lagoa cercada de dunas e pequena vegetação. Na época das chuvas, as lagoas acumulam bastante água e vão formando pequenos oásis entre as dunas, dando a aparência (embora que em menor proporção) aos famosos “Lençóis Maranhenses”.

Barra do Rio Mundaú- Rio que divide os municípios de Itapipoca e Trairi. Com as alterações da maré, um cenário inédito e uma paisagem de encher os olhos nasce e renasce a cada dia encantando seus visitantes.

Dunas: Formação arenosa próxima à linha da praia. Altura que varia de 5m a 20m, com ventos moderados e fortes. As dunas semifixas apresentam em seu topo formações arenosas compactas, que dão aspecto rochoso. Sobre essas formações podem-se apreciar um belo pôr do sol e toda a paisagem circundante.

Região Serrana:

Arapari: Principal distrito do município de Itapipoca, localizado na região serrana distante da sede 7 km. Importância histórica e cultural, pois o município de Itapipoca nasceu em meio as serras e devido ao seu crescimento e desenvolvimento, desceu e se firmou ao seu sopé.

Igreja Nossa Senhora das Mercês: Localização: sede de Arapari. A Igreja do Arapari se confunde com a própria história da fundação de Itapipoca. Datada de 1772, a Igreja é considerada uma das mais antigas do Município, tendo como santa padroeira Nossa Senhora das Mercês, a qual se deslocou para a atual sede, após construção da Igreja Matriz 100 anos depois, durante o Segundo Reinado.

Balneário João Viana: No centro do distrito de Arapari; o acesso é feito por ruas com pequenas ladeiras em chão de terra batida. Estrutura modesta com piscinas, queda d’agua natural e restaurante.

Balneário do Açude Quandú: Distrito de Arapari. Situado no sopé das serras. Sua água apresenta uma tonalidade escura, de transparência negativa, com profundidade pequena nas margens e profunda ao se avançar em suas águas. O balneário possui mesas dispostas à margem do açude, à sombra das diversas árvores frutíferas que compõem o lindo cenário deste balneário. O restaurante serve uma comida simples, mas saborosa, nas margens do açude, boias de câmara de pneu para os banhistas. Distante a 14 km da sede do município.

Bica Boca da Loca: Distrito de Arapari, na localidade de Canoas, conhecida também como “Loca do Amor”. Trata-se de uma queda d’água de aproximadamente 3m de altura. Localizada entre dois blocos de rocha da mesma altura. Devido à intensidade das águas, ocorreu uma incisão no bloco, provocando o recuo da parte por onde a água escoa, dividindo-o em dois. Água de tonalidade escura, transparência negativa, temperatura fria e profundidade pequena. Possui um restaurante modesto.

Bica da Canoa: Arapari, distante a 12 km da sede, pequeno e modesto balneário, onde o banho se dá em uma bela queda d’água, onde as mesas ficam dispostas dentro de uma piscina natural (água represada). O banhista se diverte com esse diferencial, de poder se refrescar sem dificuldades com água literalmente aos seus pés. Essa queda d’água se dá de uma vazão águas que descem da serra por entre as pedras.

Bica de São Daniel: Este atrativo não é propriamente uma bica, mas na verdade uma bela cachoeira de aproximadamente 10m de altura, sua água exibe uma tonalidade clara, de transparência positiva, temperatura fria e volume intenso.

Pedra do Itapicu: Arapari ,povoado de Canoas, formação rochosa com uma altura próxima de 800m, propícia à prática do alpinismo. No cume deste atrativo, considerado como mirante natural, é possível ter uma visão panorâmica completa de toda a região, inclusive se o dia estiver bem ensolarado pode ser visto as dunas da praia da Baleia, bem como as serras e a depressão sertaneja.

Pedra da Itacoatiara: Com 870 m de nível acima do mar; um inselberg bastante expressivo na paisagem local, o qual é ponto de celebrações religiosas realizadas pela igreja católica, (novenário em Honra a Nossa Senhora das Neves), padroeira da comunidade de Itacoatiara.

Açude do Ipú Mazagão: distrito de Ipú Mazagão. Sua água apresenta coloração escura, de transparência negativa e temperatura fria. Bem arborizados com ventos moderados, podendo formar ondas na superfície da água do açude à medida que aumenta sua intensidade. Nas suas margens, presença de balneários, onde são servidas modestas e saborosas refeições. Este açude está situado em uma área que fica entre as serras, proporcionando uma visão belíssima.

Região do Sertão:

Açude Poço Verde: sede – sertão. O açude ocupa uma área de 418m, com capacidade hídrica de 13.658.000m³. A sua água apresenta uma tonalidade escura, de transparência negativa, com temperatura fria e profundidade pequena nas margens tornando-se fundo à medida que se distancia da mesma. À suas margens, balneários, com espaços amplos e arborizados; barracas de alvenaria equipadas com mesas e cadeiras, restaurantes modestos com venda de bebidas, tira-gostos e almoços.

Gruta da Pedra Ferrada: Localidade de Mocambo de Baixo. Sua altura é de aproximadamente 400m e abertura de 4m de altura, com sete de largura e extensão em torno de 5m. Em suas paredes internas, destacam-se pinturas e inscrições rupestres, que retratam animais, locais e costumes primitivos de onde se tem indícios de serem os mais antigos vestígios do homem primitivo no Estado do Ceará. Acesso por estrada carroçável com caminhadas em trilhas.

Tanques Taboca Lajinha: São reservatórios naturais, de uma extensa superfície rochosa, com variações de altura, onde aparecem espaços com grandes profundidades, localizado entre as rochas e que possibilitam o acúmulo de água. Local onde foram encontrados fósseis da megafauna; animais que caminhavam e pastavam por lá cerca de dez mil anos.

Tanques do João Cativo: Fazenda Carrapato- mocambo. São reservatórios naturais, de uma extensa superfície rochosa, com variações de altura, onde aparecem espaços com grandes profundidades, localizado entre as rochas e que possibilitam o acúmulo de água. Vale ressaltar que de lá foi retirado o húmero de uma preguiça gigante que se encontra exposta no Museu do Ceará em Fortaleza.

Tanques do Jirau: O Sítio Paleontológico Jirau, na porção oeste do município de Itapipoca. Pesquisado desde 2001, já foram resgatadas de seus tanques mais de 3.000 mil peças fósseis, que se encontram depositadas no Museu de Pré-história de Itapipoca. O tanque do jirau tem 78 metros de extensão. O acesso exige uma longa caminhada pelas pedras que tem mais de 30 metros de altura. Na área também existe a Pedra do Sino na margem leste da Lagoa do Juá, que apresenta inscrições rupestres. Dentro da lagoa foram encontrados vários artefatos líticos de pedra lascada.

Sítio Paleontológico Pedra D’agua: Esse sítio está localizado no distrito do Deserto a 30 km da sede de Itapipoca e é de fácil acesso. A Pedra D’ Água é um monólito de granito que mede 50m de altura. A potencialidade deste sítio é a sua beleza incomum, pois é um rochedo que se ergue em meio à caatinga.

Fonte: Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo, Turª Bel Ana Paula da Silva Araújo